Skip to Content

Return

Seborreia em Cães e Gatos

 

As doenças de pele em cães e gatos são muito comuns. Diversos são os problemas que os pets podem apresentar e seus sintomas são variados, assim como a coceira, irritação, queda de pelos, feridas, crostas, entre outros. As causas também são diversas e podem incluir infestações por ectoparasitas (pulgas, ácaros, piolhos e carrapatos), infecções por bactérias ou fungos, alergias (alimentar ou não) e até problemas comportamentais.  No artigo de hoje vamos falar sobre a seborreia, uma doença que atinge a camada mais externa da pele e pode trazer bastante incômodo para o animal e o seu tutor.

 

Seborreia – o que é?

 

            Do latim, Sebum (sebo) e do grego Rhoia (fluxo), a seborreia é uma patologia de pele onde ocorre um defeito na queratinização e na secreção de sebo, com uma consequente inflamação da pele, caracterizando a dermatite seborreica. Atualmente, os termos disqueratinização ou distúrbios queratoseborreicos têm sido considerados os mais corretos para nomear a doença.

 

Etiologia: As células da epiderme são renovadas a cada 21 dias, sendo que elas “surgem” na camada basal e vão se transformando até chegar à última camada, a córnea, onde “morrem”. Durante esse processo fisiológico ocorre também a queratinização das células: a queratina (uma proteína) funciona como a proteção física e mecânica, conferindo o aspecto normal da pele saudável. O que mantém as células aderidas durante todo o processo é a secreção sebácea. Uma falha em qualquer parte de todo esse mecanismo dá início ao quadro seborreico.

 

Causas

           Primeiramente, há de se diferenciar a seborreia primária da secundária.

Primária: é quando a seborreia ocorre devido a fatores genéticos, sem motivo “conhecido”. Ou seja, não há uma doença de base causando-a. Felizmente, ela corresponde à minoria dos casos. As raças mais acometidas são West Highland White Terrier, Cocker Spaniel Americano, Basset Hound, Golden Retriever, Setter Irlandês e Pastor Alemão.

Secundária: é a mais comum e ocorre devido a um problema primário que altera o equilíbrio do processo já explicado no texto. Doenças parasitárias como sarnas, infestação por pulgas, micoses e infecções bacterianas podem causar seborreia. As alergias como atopia e alergia alimentar, deficiências nutricionais e também doenças hormonais, como hipotireoidismo e hiperadrenocorticismo, são outras causas comuns.

 

Sinais clínicos

            Os sintomas principais são bem visíveis e a seborreia pode se apresentar de duas formas, seca e oleosa:

Seca: pele e pelagem secas e aparentemente quebradiças, descamação excessiva.

 

Oleosa: presença de sebo visível, geralmente sem descamação, hiperqueratose (pele escurecida).

O prurido (coceira) geralmente se apresenta em intensidade leve, principalmente quando há inflamação associada (dermatite seborreica). Há ainda a seborreia mista, que apresenta sintomas dos dois tipos, concomitantemente.

 

Tratamento

            O primeiro passo do tratamento é detectar se trata-se de uma seborreia primária ou secundária. Se for primária, o tratamento deve ser para o resto da vida, a fim de aliviar os sintomas, já que não há cura. Para a seborreia secundária, deve-se tratar a causa de base concomitantemente ao tratamento da seborreia, daí a necessidade de um diagnóstico preciso da doença primária. O tratamento tópico, através de loções e xampus é o que vai ajudar a cessar os sintomas da doença. Obviamente, que se a causa de base não for tratada, dificilmente haverá sucesso.

O uso de xampus terapêuticos é o principal passo do tratamento. Os xampus com efeito queratolítico (dissolve a queratina) ajudam remover o excesso de descamação, deixando a pele limpa e pronta para outros passos do tratamento. Já os xampus queratoplásticos ajudam na epitelização após a limpeza. Hidratantes, umectantes e emolientes podem ser utilizados para ajudar na recuperação.

Os banhos devem ser de no mínimo 2 vezes por semana no início do tratamento, espaçando o intervalo gradativamente até remissão dos sintomas. O tratamento da seborreia geralmente dura de 30 a 60 dias.

 

Opção de tratamento: Peróxido de Benzoíla

            O Peróxido de Benzoíla é um composto com ação antibacteriana, e que inibe a proliferação da epiderme e a produção de sebo na pele. Além disso, o Peróxido de Benzoíla é considerado um ativo queratolítico e anti-inflamatório. Graças ao seu efeito antibacteriano, é um dos ativos principais em seborreias associadas à piodermites, frequentes na clínica de cães e gatos.

A Syntec do Brasil oferece o Peróxido de Benzoíla ao mercado veterinário através do produto PEROÍLA®.

 

PEROÍLA® é indicado para cães e gatos, por sua ação anti-pruriginosa, queratolítica e comedolítica, sendo recomendado para a higiene e para o tratamento clínico ou preventivo da seborreia, das dermatites e das piodermites das dobras interdigitais. PEROÍLA® é uma preparação antibacteriana de uso tópico, que atua sobre o Staphylococcus spp. causadores de piodermites. PEROÍLA® limpa os folículos e reduz a produção das glândulas sebáceas.

 

 

Referências

ALVES, F.S. Diagnóstico e tratamento das alterações de queratinização. Cadernos Técnicos de Veterinária e Zootecnia. (Cadernos Técnicos da Escola de Veterinária da UFMG). nº 71 – dezembro de 2013.

HALLIWELL, R.E.W. Rational use of shampoos in veterinary dermatology. Journal of Small Pratice. n.32, p.401-407, 1991.

MULLER, W.H.; GRIFFIN, C.E.; CAMPBELL, K.L. Muller e Kirk’s Small Animal Dermatology. 7ed. St Louis: Elsevier, 2012. 938p.