Skip to Content

Return

(Português do Brasil) Seborreia em Cães e Gatos

Disculpa, pero esta entrada está disponible sólo en Portugués De Brasil. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

 

As doenças de pele em cães e gatos são muito comuns. Diversos são os problemas que os pets podem apresentar e seus sintomas são variados, assim como a coceira, irritação, queda de pelos, feridas, crostas, entre outros. As causas também são diversas e podem incluir infestações por ectoparasitas (pulgas, ácaros, piolhos e carrapatos), infecções por bactérias ou fungos, alergias (alimentar ou não) e até problemas comportamentais.  No artigo de hoje vamos falar sobre a seborreia, uma doença que atinge a camada mais externa da pele e pode trazer bastante incômodo para o animal e o seu tutor.

 

Seborreia – o que é?

 

            Do latim, Sebum (sebo) e do grego Rhoia (fluxo), a seborreia é uma patologia de pele onde ocorre um defeito na queratinização e na secreção de sebo, com uma consequente inflamação da pele, caracterizando a dermatite seborreica. Atualmente, os termos disqueratinização ou distúrbios queratoseborreicos têm sido considerados os mais corretos para nomear a doença.

 

Etiologia: As células da epiderme são renovadas a cada 21 dias, sendo que elas “surgem” na camada basal e vão se transformando até chegar à última camada, a córnea, onde “morrem”. Durante esse processo fisiológico ocorre também a queratinização das células: a queratina (uma proteína) funciona como a proteção física e mecânica, conferindo o aspecto normal da pele saudável. O que mantém as células aderidas durante todo o processo é a secreção sebácea. Uma falha em qualquer parte de todo esse mecanismo dá início ao quadro seborreico.

 

Causas

           Primeiramente, há de se diferenciar a seborreia primária da secundária.

Primária: é quando a seborreia ocorre devido a fatores genéticos, sem motivo “conhecido”. Ou seja, não há uma doença de base causando-a. Felizmente, ela corresponde à minoria dos casos. As raças mais acometidas são West Highland White Terrier, Cocker Spaniel Americano, Basset Hound, Golden Retriever, Setter Irlandês e Pastor Alemão.

Secundária: é a mais comum e ocorre devido a um problema primário que altera o equilíbrio do processo já explicado no texto. Doenças parasitárias como sarnas, infestação por pulgas, micoses e infecções bacterianas podem causar seborreia. As alergias como atopia e alergia alimentar, deficiências nutricionais e também doenças hormonais, como hipotireoidismo e hiperadrenocorticismo, são outras causas comuns.

 

Sinais clínicos

            Os sintomas principais são bem visíveis e a seborreia pode se apresentar de duas formas, seca e oleosa:

Seca: pele e pelagem secas e aparentemente quebradiças, descamação excessiva.

 

Oleosa: presença de sebo visível, geralmente sem descamação, hiperqueratose (pele escurecida).

O prurido (coceira) geralmente se apresenta em intensidade leve, principalmente quando há inflamação associada (dermatite seborreica). Há ainda a seborreia mista, que apresenta sintomas dos dois tipos, concomitantemente.

 

Tratamento

            O primeiro passo do tratamento é detectar se trata-se de uma seborreia primária ou secundária. Se for primária, o tratamento deve ser para o resto da vida, a fim de aliviar os sintomas, já que não há cura. Para a seborreia secundária, deve-se tratar a causa de base concomitantemente ao tratamento da seborreia, daí a necessidade de um diagnóstico preciso da doença primária. O tratamento tópico, através de loções e xampus é o que vai ajudar a cessar os sintomas da doença. Obviamente, que se a causa de base não for tratada, dificilmente haverá sucesso.

O uso de xampus terapêuticos é o principal passo do tratamento. Os xampus com efeito queratolítico (dissolve a queratina) ajudam remover o excesso de descamação, deixando a pele limpa e pronta para outros passos do tratamento. Já os xampus queratoplásticos ajudam na epitelização após a limpeza. Hidratantes, umectantes e emolientes podem ser utilizados para ajudar na recuperação.

Os banhos devem ser de no mínimo 2 vezes por semana no início do tratamento, espaçando o intervalo gradativamente até remissão dos sintomas. O tratamento da seborreia geralmente dura de 30 a 60 dias.

 

Opção de tratamento: Peróxido de Benzoíla

            O Peróxido de Benzoíla é um composto com ação antibacteriana, e que inibe a proliferação da epiderme e a produção de sebo na pele. Além disso, o Peróxido de Benzoíla é considerado um ativo queratolítico e anti-inflamatório. Graças ao seu efeito antibacteriano, é um dos ativos principais em seborreias associadas à piodermites, frequentes na clínica de cães e gatos.

A Syntec do Brasil oferece o Peróxido de Benzoíla ao mercado veterinário através do produto PEROÍLA®.

 

PEROÍLA® é indicado para cães e gatos, por sua ação anti-pruriginosa, queratolítica e comedolítica, sendo recomendado para a higiene e para o tratamento clínico ou preventivo da seborreia, das dermatites e das piodermites das dobras interdigitais. PEROÍLA® é uma preparação antibacteriana de uso tópico, que atua sobre o Staphylococcus spp. causadores de piodermites. PEROÍLA® limpa os folículos e reduz a produção das glândulas sebáceas.

 

 

Referências

ALVES, F.S. Diagnóstico e tratamento das alterações de queratinização. Cadernos Técnicos de Veterinária e Zootecnia. (Cadernos Técnicos da Escola de Veterinária da UFMG). nº 71 – dezembro de 2013.

HALLIWELL, R.E.W. Rational use of shampoos in veterinary dermatology. Journal of Small Pratice. n.32, p.401-407, 1991.

MULLER, W.H.; GRIFFIN, C.E.; CAMPBELL, K.L. Muller e Kirk’s Small Animal Dermatology. 7ed. St Louis: Elsevier, 2012. 938p.